quarta-feira, 6 de junho de 2012

Corpus Christi "não é feriado".



Os dias sagrados estão sendo relativizados cada vez mais pela sociedade contemporânea. 
Os séculos, as décadas e os dias vão passando, e com eles vão aparecendo as transformações, que são postas pelo ser humano de forma a satisfazer, quase que de forma absoluta, a sua vontade, que está voltada geralmente para a obtenção de bens materiais, de riquezas que nem sempre atendem fatores humanos, de dignidade ao próximo, a si mesmo, e de forma mais constante, a Deus. A principal fonte que tem apresentado esta atitude humana é a usurpação nos dias sacros, isto é, o que é um dia Santo, muitos consideram apenas como mais um feriado, alguns por desconhecer o significado, este grupo como minoria, e outros por desrespeito mesmo.
Outra atitude negativa que a sociedade tem apresentado de forma muito intensa, é o peso, a medida que estão usando para as diversas festas profanas, que tem arrastado multidões, independentes do porte ou estilo, mas tem seu público garantido, ainda que a distância seja muito grande, não há nenhum empecilho para isso. No entanto, quando há um evento ou mesmo uma programação da Igreja, todos os obstáculos são impostos, muitas barreiras são apresentadas. Todos os perigos, que na primeira parte não haviam, passam a existir. 
Portanto, é fundamental uma observação profunda acerca destas ações que a sociedade, à qual fazemos parte, está desenvolvendo, cabendo uma reflexão profunda para o valor que estamos apresentando diante daquilo que é de Deus, para exercermos de forma verdadeira o ser Cristão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário