segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Política: Prefeitura Municipal de Petrolina intercede em favor das famílias da ocupação do Belo Jardim



Após reunião emergencial, realizada na manhã de ontem (06), o prefeito Julio Lossio determinou aos seus secretários de Ordem Pública, Marcello Cavalcanti, de Desenvolvimento Social e Trabalho, Tereza Virgínia Carvalho, e ao Superintendente de Habitação da Secretaria de Planejamento e Urbanismo, Edinaldo Lima, que intercedessem em favor das famílias que ocupam, atualmente, o espaço conhecido como Loteamento Assenco. O chefe do executivo passou o dia buscando contato com o governador do estado, Eduardo Campos, no intuito de suspender a ação de despejo executada pela Polícia Militar, que cumpre ordem de reintegração de posse no local.

Em visita à ocupação, os gestores, acompanhados de uma equipe de assistentes sociais da Secretaria de Desenvolvimento Social e Trabalho – Sedest e conselheiros tutelares, cadastraram as cerca de 50 famílias encontradas no local para receberem alimentação e o apoio do Poder Público Municipal para a sua realocação. “O prefeito Julio Lossio determinou que tomássemos essas medidas para acolher as famílias e minimizar o seu sofrimento. Sabemos que são muitas pessoas e não podemos resolver o problema sozinhos, por isso clamamos o apoio do Governo do Estado e pedimos que envie um representante para encontramos juntos, uma solução”, enfatizou a secretária Tereza Virgínia Carvalho, ressaltando a presença da vereadora Cristina Costa (PT), que vem prestando um importante apoio às famílias.

De acordo com o Superintendente de Habitação, Edinaldo Lima, a Prefeitura acompanha a ocupação desde o início e a preocupação com a situação das famílias foi levada ao conhecimento do Governo do Estado, na tentativa de buscar apoio e impedir que o cumprimento da ordem de despejo forçado. “Todos fomos pegos de surpresa, tanto as famílias como nós da Prefeitura Municipal. No entanto, verificamos no processo de reintegração de posse, que o Governo do Estado estava informado sobre a execução da ordem judicial, desde o dia 05 de setembro”, relatou o superintendente, ressaltando que durante a VIII reunião do Conselho Estadual das Cidades, realizada em Petrolina de 21 a 23 de setembro, o Governo do Estado já sabia sobre a ordem de despejo. Na ocasião, a secretária executiva de articulação institucional e captação de recursos da Secretaria Estadual das Cidades, Ana Suassuna, se comprometeu a não incluir a polícia no cumprimento da ação.

“Não adiantou nada a gente ter lutado, ter passado dois dias na reunião do Conselho. Lá os representantes do Governo do Estado choraram por nós e garantiram que a ordem de despejo não iria acontecer, mas agora a polícia está aqui, os barracos derrubados e ninguém apareceu para ajudar”, afirmou Rosimeire da Silva Carvalho, uma das líderes da ocupação. “O que me resta é lamentar e esperar que eles tomem uma solução certa e encontrem um lugar para colocar esse pessoal”, acrescentou.

“Hoje, estive no Fórum e descobri que o juiz responsável pelo processo de reintegração de posse não recebeu nenhum pedido do Governo solicitando uma pausa na ação de despejo forçado. Nós só temos a lamentar a falta de sensibilidade do Estado com essas famílias”, afirmou Edinaldo Lima. No momento, os secretários municipais buscam junto com as famílias, uma alternativa para que elas sejam deslocadas para um lugar onde vivam com segurança até que possam ter uma moradia digna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário